sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Edner Morelli

É paulista e muito reservado. Mais importante: é o autor de Latência, e eu tive o privilégio de o conhecer em Tormes.
O seu livro, de 2002, com a estampa da Temporal Editora, tem na capa uma adaptação do quadro Cidadão Laranja de Leonardo Valdereis, na badana palavras do poeta, ensaísta, cronista e professor Affonso Romano de Sant'anna e, como prefácio, um texto subscrito por Caio Porfírio Carneiro, escritor e ensaísta brasileiro e secretário executivo da União Brasileira de Escritores.
Pulula nos seus versos a reflexão meta-poiética com um toque de solidão. Calo-me. Fala o Poeta:


«Latência»

Meus poemas estão perfilados
Amotinados e confinados
Dentro de minhas incertezas
Forçam a explosão
Clarão de luzes inquietas
Uns saem imaturos
Outros chorosos
Alguns indicam mutações acentuadas
Mas como uma noturna doutrina
Visito-os em seu delírio de penumbra
Humildemente entendo-os
Alimento-os das melhores sínteses
Que possam existir
A satisfação do verso compreendido
Lava-me ao auto-exílio das senações amenas
Palavras palavras palavras
Às vezes onde se escondem?
Às vezes tento colhê-las
O que encontro?
Larvas larvas larvas
E minhas inquietações pervagam
Em busca de novas velhas brigas
Pelo relâmpago da criação

3 comentários:

Anónimo disse...

Denise, também o conheço este livro, o selo é A-temporal editora.

Sds,

Denise disse...

Obrigada pela informação, Sds!
O livro é bom, não é? ;-)

Norival Leme Jr disse...

Olá Denise. Conversa espaçada esta, não? :)

Sim, o livro é bom! Principalmente levando em consideração ser um livro de estréia. Ou seja, sorte nossa, pois com a madureza, sem dúvida, virão ótimos versos.

Sds,
Norival